Browse By

Análise do Mandriva 2009: Completo, prático e estável

Saiu, no mês de outubro, a versão 2009 da famosa distribuição Linux Mandriva, que tem por objetivo tornar o Linux simples e fácil para todos, assim como o Ubuntu. Aliás, não é a toa que o Mandrake – distribuição que existia antes da fusão entre a francesa Mandrake e a brasileira Conectiva – foi um dos primeiros a oferecer um instalador gráfico fácil de usar, facilitando bastante a vida dos usuários que queriam utilizar ou apenas testar a distribuição. Toda essa facilidade deu ao Mandrake uma popularidade equivalente ao que o Ubuntu tem hoje. Isso aconteceu na época entre 2001 e 2004, quando ainda existiam poucas distribuições no mercado e o Ubuntu ainda não pensava em nascer. Naquele tempo, distribuições como Mandrake, Knoppix e Red Hat (ou Fedora) estavam no topo.

Hoje, o Mandriva é uma distribuição que não fugiu do seu foco inicial e continua conquistando usuários. Esta análise foi feita com base no Mandriva One 2009, com ambiente gráfico KDE 4 (o padrão da distribuição) e numa configuração low-end (um típico Pentium 4 com 512 MB de RAM e HD IDE).

O instalador

Como disse, o Mandriva não fugiu do seu foco inicial. Apesar de a versão testada ser um LiveCD, preferi começar pelo instalador, que é simples e fácil de usar, mas oferecendo mais possibilidades de configuração do que outras distribuições do mesmo porte. Na instalação, que dura cerca de 20 ou 30 minutos, o assistente faz perguntas relacionadas ao gerenciador de boot, exibe um particionador completo (e um assistente “clique e faça” para não confundir os mais iniciantes), além do novo “removedor de pacotes inúteis”, que evita que a distribuição seja instalada com softwares ou drivers que não serão utilizados. No meu caso, por exemplo, não vale a pena instalar um driver de vídeo da ATI sendo que minha placa é da NVIDIA, muito menos drivers legacy (apropriados para placas de vídeo como GeForce 2 ou mais antigas) ou os drivers novos (da série 173), que funcionam nas placas mais atuais.

Particionador, em modo expert

Particionador, em modo expert

Lista de pacotes inúteis

Lista de pacotes inúteis

Gerenciador de boot

Gerenciador de boot

Instalação concluída!

Instalação concluída!

O assistente inicial

No boot pelo disco rígido, a distribuição mostra ser fácil e rápida, exibindo um assistente rápido de configurações pessoais, como layout de teclado, fuso horário e ativação de efeitos 3D, caso sua placa de vídeo seja habilitada. Além disso, o assistente abrirá a página First Time – infelizmente disponível apenas em inglês, o que pode atrapalhar os usuários que não conhecem o básico do idioma – que mostrará um questionário com perguntas básicas (Você já usou o Mandriva antes? Quais sistemas você já utilizou, desconsiderando os “testes”? Qual o seu nível de experiência?), um formulário de registro (ou login, caso você já seja um cadastrado) e instruções para enviar dados sobre o seu hardware, aprimorando o reconhecimento de periféricos e dispositivos da distribuição.

Mandriva First Time

Mandriva First Time

A distribuição

O Mandriva 2009 “limpo”, sem nenhuma atualização, vem com o navegador Mozilla Firefox 3.0.3, ambiente gráfico KDE 4.1.2 e uma surpresa: a versão brasileira da suíte de escritório OpenOffice.org, o BrOffice.org 3.0.0, já traduzido e com o corretor ortográfico em português (obviamente, o BrOffice.org só será instalado se você selecionar o Português nas opções de idioma, antes da instalação da distribuição). Mantendo a seleção padrão de softwares, o Mandriva com KDE 4 utiliza o Amarok 2.0 como player de áudio, Firefox como navegador (e não o Konqueror, como acontece com uma distribuição), GIMP como editor de imagens, Gwenview como visualizador de imagens, Kopete como instant messenger e outros softwares do projeto KDE.

BrOffice.org, instalado por padrão quando o idioma selecionado é Português do Brasil

BrOffice.org, instalado por padrão quando o idioma selecionado é Português do Brasil

É importante lembrar que a versão One da distribuição, em LiveCD, traz várias facilidades para o usuário doméstico. Vem com os drivers proprietários da ATI e da NVIDIA por padrão, além dos codecs comuns, como o de MP3, formato de música tocado pelo Amarok, sem reclamar. Isso é bom porque, diferente de outras distribuições, o Mandriva não assusta o usuário, dizendo que instalar codecs da comunidade é ilegal (e realmente é, infelizmente), podendo trazer problemas e instabilidades, e blá blá blá.

Visual e pequenos probleminhas

Acredito que a primeira coisa que notamos quando entramos em um sistema novo, é o visual. Apesar de aparência ser uma opinião muito pessoal, o Mandriva se dá muito bem nesse aspecto. A boa arte gráfica da distribuição, somada a beleza do KDE 4, deixa a distribuição com um bom look and feel.

Aparência padrão do Mandriva 2009 com KDE 4

Aparência padrão do Mandriva 2009 com KDE 4

Os pequenos probleminhas visuais, existem. Notou a barra de título azul com texto em cor preta? Digamos que, bom, um branco seria melhor ali, não? Também é hora de acabar com essa síndrome de cegueira que atinge as distribuições Linux. O relógio enorme, as fontes enormes… Me desculpem os que não concordam com esta parte, mas as fontes do Windows são menores e mais agradáveis de se ler. Claro, nada que poucos cliques não resolvam, mas…

Outra coisa que nunca entendi é o fato de o Mandriva vir com o menu K em estilo KDE 3, e não com o Kickoff, que sempre pôde ser usado clicando-se com o botão direito no menu K e indo em Mudar para o estilo de menu Kickoff. O Kickoff tem um melhor apelo visual e, pelo menos para mim, é mais prático. Ao contrário do menu normal, ele não tem a gravíssima falha de não mostrar um atalho para o diretório /home. Para um usuário com mais experiência, é óbvio, basta abrir o gerenciador de arquivos Dolphin e pronto, você terá seu diretório home na sua cara. Mas, e para um usuário iniciante, que não sabe os aplicativos principais do KDE 4 e nunca ouviu falar em Dolphin?

Menu K padrão, com o bug da pasta home

Menu K padrão, com o bug da pasta home

Menu Kickoff, mais prático e com melhor apelo visual

Menu Kickoff, mais prático e com melhor apelo visual

Outro “bug” que pode ser encontrado é o fato de a tecla PrintScreen não chamar o KSnapshot, utilitário de printscreen do KDE. Não é uma falha propriamente dita, mas, como praticamente todas as distribuições chamam o utilitário de cópia da tela com esta tecla de atalho, e o Windows faz uma cópia para a área de transferência, achei melhor citar o problema.

O Centro de Controle Mandriva

O Mandriva possui um painel de controle próprio. Ele, digamos, “concorre” com o poderoso YaST, oriundo do openSUSE, distribuição que já analisamos aqui no Guia do PC.

Centro de Controle Mandriva

Centro de Controle Mandriva

No Centro de Controle Mandriva, é possível fazer desde tarefas básicas, como instalar programas, configurar uma conexão ADSL, importar fontes do Microsoft Windows, até tarefas consideradas mais avançadas, como a configuração do servidor gráfico, configurar compartilhamentos do Samba ou ajustar o firewall padrão do Mandriva, o Shorewall. Esse é o grande diferencial do Mandriva.

Apesar de alguns pequenos probleminhas citados anteriormente, o fato de a distribuição possuir um painel centralizado facilita bastante a tarefa de quem quer entrar no mundo do Linux ou simplesmente quer praticidade. Quer atualizar o sistema? Abra o Centro de Controle e clique em Atualizar seu sistema (não que não seja possível fazer isso clicando no ícone na bandeja do KDE). Quer ativar os efeitos 3D do Compiz Fusion ou Metisse? Clique em Configurar efeitos do Desktop 3D. Quer configurar backups? Clique em Backups Periódicos. É paranóico em segurança e quer deixar o sistema excessivamente seguro? Clique em Configurar o nível de segurança e auditoria. É tudo na base do clicar e fazer, estilo Windows.

Conclusão

O Mandriva é uma distribuição muito bem feita. Muita coisa, como o Centro de Controle super completo, os drivers e codecs proprietários pré-instalados, a instalação prática e a boa seleção de softwares facilitam muito vida do usuário. Eu arriscaria recomendar o Mandriva a um iniciante ao invés do Ubuntu, distribuição muito conhecida pela sua praticidade.

Como qualquer distribuição Linux, o Mandriva possui seus problemas, como os detalhezinhos citados anteriormente. Sem contar que o Mandriva não é uma distribuição exatamente leve. É possível perceber isso principalmente pelo alto uso de memória virtual, que com Kopete, Amarok e Firefox abertos, atingiu 250 MB, um índice relativamente alto. O Linux utiliza toda a memória física antes de partir para a virtual, e geralmente é raro o uso de memória virtual em situações normais, ao contrário do Windows, que utiliza mais memória virtual do que física. Logo, esse uso de memória virtual é anormal. O uso de CPU também denuncia o “peso” da distribuição, ficando entre 20% e 40%. Apesar disso, o Mandriva não travou nenhuma vez.

Infelizmente, apesar de utilizar o RPM ao invés do DEB, o Mandriva não possui o Delta RPM, como o openSUSE, que baixa somente os arquivos alterados para atualizar o software. Isso evita o download aqueles pacotes de 150 MB do OpenOffice.org, que só atualizam um ou dois arquivos e acabam acarretando em gasto desnecessário com conexão, tempo e paciência.

Opinião final? Uma distribuição completa, prática e estável, apesar de pesada. Concorre diretamente com o openSUSE, que tem essas mesmas características. Se você tem um computador semelhante ao citado no começo da análise, não terá problemas para rodar o Mandriva. Mas, se possuir 512 MB de RAM ou menos, é melhor se preparar para um pequeno upgrade de memória.

Galeria de imagens

  • Luiz Vitor

    Eu tava usando o Mandriva, mas com Gnome. Não vou com a cara do KDE, principalmente com o KDE4. Gosto também do PCLinuxOS (que é baseado no Mandriva), mas o projeto deles anda bem devagar…

    • Não estou tão feliz, satisfeito e saltitando com o KDE 4, mas eu prefiro ele ao invés do GNOME. Nunca gostei tanto da simplicidade excessiva do GNOME e de alguns softwares em GTK.

  • Paulo, ótimo review, mas essas questões desses "probleminhas" que vc citou, acho que são bem pessoais e variam bastante. Eu por exemplo adoro o tamanho em que o relogio é visualizadoo no Kde mas odeio o tamanho que é visualizado no windows. Enfim é questão pessoal mesmo. Agora sobre ser rpm e não deb, até hoje não entendo essas "cisma", nunca vi grande diferença entre os dois nas distros que já useri, atualmente uso o Fedora 9. O que pode variar mesmo é o instalador. Mas para o usuário final esses detalhes não fazem muita diferença.

    • Sim, sim, estou ciente disso. Sobre o RPM x DEB, veja, eu não discuti sobre isso na análise. Apenas disse sobre o fato de, apesar de o Mandriva utilizar RPM, não possui o Delta RPM, como o openSUSE, que baixa apenas os arquivos alterados, ao invés de baixar o pacote inteiro.

      Abraços!

      • O delta rpm é realmente muito bom, mas sempre achei as atualizações do mandriva muito leves, e olha que deixo em atualizações automáticas, sempre baixava pouco coisa da internet, e meu sistema sempre estava atualizado, eu acho que o pessoal do mandriva já deve ter algo parecido como o delta rpm, e aliás o instalador dele é uma maravilha, rápido e prático de usar, esse para mim é um dos males do fedora, as atualizações são na maioria das vezes pesadas e o yum é uma carroça.

  • Eu gostava do tema padrão do Mandriva no 2008.1, mas depois que portaram ele pro KDE 4, parece que ficou muito mal acabado. O Oxygen como padrão seria uma escolha muito melhor, na minha opinião. Gostei bastante do Mandriva 2009, mas acho que eles ainda tem muito o que melhorar no Spring.

    • Tive a mesma impressão. O Ia Ora era muito mais bem feito no KDE 3. Parece que fizeram às pressas e saiu essa barra de títulos azul com texto em preto. 😛

  • Rodrigo

    Engraçado o pessoal dizendo que usa Linux e escrevendo tal comentário do Windows.. lamentável….

    • Eu uso tanto Windows como Linux, e não vejo nenhum problema nisso. Não que eu seja contra os que usam sistemas operacionais como se fossem algum tipo de religião, mas…

      • Esse é o grande problema da comunidade Linux. Achar que se tem que usar só Linux,e que todo o resto é horrível e pecaminoso. Acho eu, que existem mais pessoas responsáveis pela fiscalização, voluntária e sem ninguém como mandante, do S.O. utilizado, do que pessoas empregadas no desenvolvimento. Não é uma boa estudar C/C++ e ajudar a melhorar o sistema trazendo novos usuários, do que expulsar os que já usam, porém usam Windows também?

    • E dai qual o problema.

      90% do mercado utiliza windows, 90% dos programas comerciais, incluindo jogos são para windows. Agora se você se sente tão bem no linux não reclame de quem usa o windows, tá parecendo até torcedor de time fanático. Eu uso o que me convém e o que o mercado manda.

      • Paulo

        O mercado não manda em p**** nenhuma. 😛

        • Então não adianta argumentar com vc, talvez vc não viva no mundo civilizado.

        • Paulo

          Desculpe, eu não sou fantoche, logo, não sou controlado pelo mercado. Eu tenho opinião formada, não precisam formar por mim. 😉

    • Infelizmente eu não posso obrigar o escritório a migrar todas as maquinas de Windows XP pra Linux 😛

  • Giulio

    Usar o que o mercado manda é dose hein… Ainda mais em computação pessoal. Essa guerra ainda vai longe. E sabe do que mais, é uma guerra saudável. O linux está se desenvolvendo bastante e já está muito maduro para ser usado por um usuário novato. Se levarmos em conta que um newbie em informática que usa windows não sabe nem instalar sua placa de vídeo – fica com o micro lento e acha que a máquina é ruim – então a questão é de costume mais do que conhecimento. O triste é ver técnico instalando Windows pirata em tudo que é máquina só porque é o único que ele sabe mexer. Toda discussão é saudável, só melhora os sistemas. Até mesmoa guerra entre DEB x RPM e KDE x Gnome é positiva.

  • Giulio

    Aliás, nem dei minha opinião. O review está bem legal. Mas sabe que não consigo usar o Mandriva. E olha que já tentei algumas vezes. Ele nunca consegue funfar de boa comigo, sempre dá problema. Ele e o OpenSuSE são dois sistemas que não gostam de mim.

  • Paulo

    Aí, o Mandriva não está completo não! Faltou um "s" no "apena" da primeira imagem! 😛

    HA HA HA.

  • Pena que a Mandriva tá em dificuldades financeiras, espero que melhorem logo, ainda mais que a Mandriva contribuí bastante proporcionalmente ao seu tamanho pro desenvolvimento do Linux:
    https://www.linuxfoundation.org/publications/imag

    Ah, no ranking do site Distro Watch o Mandriva aparece só em 7º, atrás até do PCLinuxOS que é baseado no próprio Mandriva, seria isso falta de marketing pessoa-a-pessoa?
    http://distrowatch.com

    • Eduardo

      Ok, sua lógica levaria o Debian, que está atrás do Ubuntu e Mint, na mesma direção. Primeiro, o ranking do DistroWatch faz uma medição de "popularidade" (HPD – Hits Per Day) que não necessariamente se reflete no uso efetivo do S.O e consequentemente em seu Market-Share. Diversos fatores nada "técnicos" podem justificar aquele ranking como, por exemplo, a popularidade momentânea de certa distribuição, por exemplo, Linux Mint.

  • Ótimo review. Uso Mandriva como meu sistema diariamente e não tenho do que reclamar. A única coisa que não me agrado muito no Mandriva são os repositórios, vez por outra não tem o que se procura. Ao contrário do que muitos dizem o KDE 4.1 está sim muito bom e estável, certo que falta um K3B e um Kaffeine pra ele, mas mesmo assim está excelente.

    Espero agora pelo openSuSE 11.1, outra paixão minha. Fico no aguardo de um próximo review seu.

  • Leo

    "é melhor se preparar para um pequeno upgrade de memória."

    Nenhum usuário doméstico normal iria fazer um upgrade de memória com o intento de >>usar esta distro agradavelmente<<… a expressão soa como uma ameaça com o uso do "se preprarar". Um upgrade para esta distro é TOTALMENTE dispensável para usuários domésticos. Absolutamente nada que ela oferece é indisponível no Windows, mas muito que a plataforma Windows oferece é indisponível nela.

    Geeks e suas doiduras…

    • Paulo

      Fanboys e suas paixões…

    • Engraçado que se você falar que o Windows Vista precisa de um upgrade de memória, vem gente com 12 pedras na mão falando que "o vista é maravilhoso e roda em qualquer PC das Casas Bahia".

  • Absolutamente nada que ela oferece é indisponível no Windows, mas muito que a plataforma Windows oferece é indisponível nela.

    Discurso mais tendencioso =_=

    • respondi no lugar errado >(

    • Paulo

      Temos a mesma falta de atenção. 😛

  • Rodrigo

    Muito legal a análise do mandriva 2009. Apesar de não gostar muito dessa distribuição, por ter tido uns probleminhas nela, eu vou testar essa versão 2009. deve estar boa 😀

    Parabéns

  • Bill

    Tenho o mandriva 9 instalado aqui, acho-o "ele é" bem mais rapido que o Ubuntu e bem mais agradavel de usar, o unico "problema" é que o desktop 3d so funciona em geforce 8 para cima "uma pena"

    No mais, excelente sistema.

    • geforce 8 pra cima? Aqui funciona perfeitamente e veloz como o vento na minha geforce FX 5200.

      Só o xorg que não conseguiu configurar automaticamente e nem com o nvidia-settings depois de instalar o driver nvidia, tive que colocar a resolução manualmente.

      • Bill

        Guilherme Mac,

        entao me ensine por favor…

        Aproveite e mande um e-mail para a mandriva pedindo para eles retificarem esta informaçao errada nos requisitos de sistema.

        • É estranho não ter funcionado aí, aqui simplesmente foi detectado e instalado o driver na instalação, não precisei fazer nada, até o compiz foi ativado automaticamente e mesmo o nvidia settings que no Ubuntu tem que baixar a parte o Mandriva já instalou.

        • Bill

          Bom Guilherme, voce realmente tem certeza que sua placa é uma geforce 5200?

          Eu trabalho com linux desde 92, nunca tive problemas, ja usei o mandriva 2008 e ele habilitava o compiz automaticamente na instalaçao…

          Instalei o 2009 e percebi que nao habilitava nem com a instalaçao do driver da nvidia, fui em alguns foruns e vi que realmente so funciona em gf serie 8 para cima, descrente disso resolvi procurar algo no site da distro e infelizmente o requisito minimo é uma gf8, mas se voce conseguiu fazer funcionar eu gostaria muito de saber como, pois é a distro que mais admiro e uso aqui em casa.

        • sim, tenho uma geforce FX5200 LE de 128MB (LE é mais fraca que as "normais").

          Uso driver 173.14.12 no Ubuntu e usava esse 173 no Mandriva. Quarta qdo entro em férias instalo de novo o Mandriva pra mostrar.

    • Tenta procurar nos repositóriso o driver nvidia-legacy, o driver atual só funciona nas placas mais novas.

      • Bill

        Lordtux, tentei fazer algumas gambiarras, todas inuteis, a verdade é que eu nao uso o desktop 3d, entao para mim nao faz a menor diferença, so achei estranho o Guilherme dizer que o dele ja veio habilitado por padrao… enfim.

        Requirements

        * Processor: Any Intel®, AMD or VIA processor.

        * RAM: 512MB minimum, 1GB recommended.

        * Hard disk: 2GB minimum, 6GB recommended.

        * Graphics card: NVIDIA®, ATITM, Intel®, SiS, Matrox,VIA. 3D desktop functionality requires an NVIDIA GeForce (up to 8800), ATITM Radeon 7000 to HD 3870, or Intel® i845 to x4500HD.

        * 3D acceleration is supported on most capable hardware. For more details, check the hardware compatibility database.

        * Sound cards: All Sound Blaster, AC97 and HDA compatible cards are supported. Note: Creative Labs X-Fi cards are not currently supported.

        * DVD drive required.

        * SATA, IDE, SCSI, SAS: most controllers are supported in non-RAID mode, and some are supported in RAID mode.

        List is not exhaustive: certain hardware not listed may also be supported. For more information, visit: http://hcl.mandriva.com

        Outra coisa que é um tanto inconveniente no mandriva é a confusão com o diversos pacotes de suas diversas distribuições de mesma versão. (o que confundiria um usuário nao experiente)

    • Isaac

      Desktop 3D só funciona em GeForce 8 pra cima???????????????

      Tenho uma 6800XT mais velha que a Hebe e o Compiz-Fusion funciona nela até rápido demais.

  • João Paulo Ar

    o que é linux? kkkkkkkkkkkkkkkkk

    WINDOWSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS 🙂

  • Giulio

    Também acho triste a situação da Mandriva. Mesmo não gostando da distro em si e do sistema de pacotes, ela contribuiu bastante para o crescimento do Linux. Quem não se lembra do Conectiva?

  • DUDA

    linux,windows cada um usa o que achar que melhor atende as suas necessidades!!!!!

  • Não sei se é só comigo, mas o Mandriva 2009 não consegue ler arquivos acentuados em partições do Windows, conforme screenshot tirada.

    http://img68.imageshack.us/img68/3235/printiu0.jp

    Ao tentar abrir a pasta (ou o arquivo), o Mandriva diz que o caminho não existe.

    http://img261.imageshack.us/img261/4831/print2jq8

    Achei que pudesse ser um problema do Dolphin, mas o mesmo acontece no Konqueror. Estranho que no Mandriva 2008.1 e em outras distribuições isso não acontece. Mesmo acessando os arquivos em outra distribuição e copiando pra uma partição ext3, o Mandriva insiste em não reconhecer. Acontece com mais alguém?

    • Aqui já aconteceu mais ou menos o contrário.

      Uma vez dei um nome a um arquivo pelo Linux usando hífen (-). Mas o Windows não suporta esse caractere em nomes de arquivos. Resultado: O Windows não conseguia excluir, renomear ou mover o bendito. Solução: Iniciar alguma distro por liveCD e dar outro nome ao arquivo. 😛

      • Putz, se eu tiver que renomear cada arquivo com acento eu to ferrado! hahahahaha

      • Bill

        Eu já instalaria o unlocker, programinha de 238Kb e removeria o arquivo com um clique de mouse em menos de 1s

        http://ccollomb.free.fr/unlocker/

        • Fernando

          Bill, o unlocker é para windows ! este post é sobre uma distro linux !!

          Creio que o usuário mais leigo (como eu) sabe que o rm -rf no terminal faz o serviço

          Probelmas de utf8 x iso 8859 são comuns no KDE, um bug que até agora não encontrei solução.

          Fiquei preucupado com o "peso" desta distro, tomara que não seja uma tendência, pois a minha distro (BIG LINUX), está consumindo com Firefox x Opera, abertos 715 MB (ainda bem que tenho 3GB), mas apesar de pesada tem tudo o que preciso e não troco ela por nenhuma outra, muito menos pelo XP (já enjoou, não dá mais)

        • Bill

          Fernando,

          Helito Bijora diz:

          "Uma vez dei um nome a um arquivo pelo Linux usando hífen (-). Mas o Windows não suporta esse caractere em nomes de arquivos. Resultado: O Windows não conseguia excluir, renomear ou mover o bendito. Solução: Iniciar alguma distro por liveCD e dar outro nome ao arquivo."

          Apenas dei uma sugestao para o problema dele, o que te incomodou?

  • Bom, esses problemas que vocês encontraram e relataram podem reportar em http://qa.mandriva.com e provavelmente no próximo release será corrigido (reporte em ingles ) 🙂

  • Leandro M.

    Viva o Linux. É pra mim uma felicidade muito grande ver a evolução desse sistema, e imaginar que há não muito tempo atrás era uma surra terrível colocar determinados dispositivos no Linux.

    Vou baixar e instalar.

  • drica

    meu PC é o linux madriva, e um amigo meu me disse q o meu navegador nao esta adaptedo pra ele, e que fica muito lento………

    alguem poderia me dizer quais sao os navegadores apropriados para o meu computador?

    obrigada…

  • drica

    ah…… e onde consigo baixar um navegador melhor mais avançado?

    obrig…

    • Firefox é o melhor pra qualquer sistema, mas tem q atualizar pq esse ainda é o 1.5! :-O

  • drica, Firefox! 🙂

    Não precisa baixar, no Mandriva existe o Centro de Controle e lá tem uma parte de gerenciamento de programas, vc instala por lá mesmo… ele baixa tudo da web automático e configura e cria uma entrada no menu. Simples demais.

  • Isaac

    Distro excelente (acompanho desde a versão 2005 LE).

    Antes, era um usuário de longa data do Ruindow$, desde a versão 3.1 (toc, toc, toc).

    Estável, rápido e com um plug and play phodaço.

    Aqui tudo funciona (placa de tv/rádio, webcam, bluetooth, placa de vídeo, conector firewire, conexão com celular Motorola, etc…

    Mandriva na cabeça.

  • Rodolfo

    Eu sinceramente achei…..esquisito

    Baixei o mandriva (i586) com o KDE, mas resolvi abrir mão do sistema logo na primeira impressão q ele me deu. O KDE com os K-aplicativos dele até parece compensar, mas a questão não são os aplicativos. É o ambiente. Além disso, eu curti a novidade de dispensar os pacotes desnecessários, realmente útil e isso faz falta no Ubuntu….mas é só isso. O GNOME pra mim tem uma suíte mais intuitiva e popular do que o KDE. Ainda assim, eu acho q vou tentar o mandriva 2k9 com o GNOME. Mas isso fica pra depois, estou bem com o Ubuntu 8.10.

  • Zumbi

    Muito bom artigo. Parabéns ao autor e ao site.

  • Edmilson

    Eu utilizo Linux a quase um ano e meio, e neste período experimentei o Ubuntu, Fedora, OpenSuse e Mandriva. O que mais me agradou pela facilidade de instalação e reconhecimento de hardware realmente foi o Mandriva, estou com ele desde o 2008 Spring (que reconhecia somente 800 mb de ram), agora com o 2009 não tive nenhum problema, inclusive reconheceu toda ram 1,5gb. Já o OpenSuse não cosegue fazer update sozinho, fica sempre perguntando (achei isso estranho).

    De qualquer forma de todas que testei a minha preferência é Mandriva e OpenSuse, não gostei do Fedora nem do Ubuntu.

    Sou apenas um usuário comum, querendo aprender e pretendo testar outras distribuições. Mas por enquanto não tenho pretensão de mudar. Até agora estou muito satisfeito com Mandriva 2009, e quanto ao KDE ou Gnome acho mais uma questão pessoal, é uma discussão sem sentido. Eu particularmente gosto muito do KDE 4 e não tenho nada contra o Gnome.

  • Alex

    Obrigado por esse post, eu bem que estranhei aquele KDE que tem no meu Mandriva, porque o do OpenSuSE também era o KDE 4 e era bem mais massa! Agora quando entrar no mandriva de novo eu mudo! É só clickar com o botão direito na barra de iniciar né? Agora só falta eu conseguir ativar o compiz fusion e instalar o amsn, dai não vou mais precisar do windows. hauhuauha, valeu ae! flw.

  • Pingback: Matheus Bonela()

  • Umbrela-v2.0

    galera falando de distribuiçoes linux . a galera tem que testar nao apenas uma distro e sim varias com certeza vcs vao achar uma bem legal e que vao se identificar com alguma .. sou tecnico em informatica e programador sempre usei o ruindows ate eu descobrir a familia linux .depois que a conheci nao consigo usar mais ruindows nem a pau .. mandriva e muito bacana seus pacotes sao leves e tal .. recomendo que usem testem varias distro ate a acha uma com sua cara e nececidade .. lembrando linux e linux seja qual for . uma distro bem config .kernel otimizados vcs vao ver que seu so vai decolar tanto pra jogos como para servidores .. palavra de quem usou ruindows uns pa de ano hehehe ..obs: toda distro tem a galerinha na net que sempre ajuda e tira duvidas e so nos chamar nosso amigao camarada e pai de nossas respostas hehehe sim sim o Google hehe.. abracao galera .msn nexusbrc@hotmail.com

  • Blastedboy

    Pessoal tive um problema com mandriva aqui no meu pc.. A instalaçao correu normal mas quando me liguei pela 1ª ves apareceu no monitor "mode not suported".

    Penso que é da minha placa grafica. Alguem me pode ajudar? pf me add no msn-edviri@hotmail.com

  • giano

    é pro cara fica loco uso a net virtua meu modem travo então pra conecta tem que ligar a maquina e depois ligar o modem na tomada senão não conecta isso toda a vez que deligo ou reinicio a maquina liguei pra net e eles ficaram de mandar um "tecnico" que ironia tenho que estar usando o windows senão o tecnico hahah não conseguira realizar os testes necessarios estou conectado fazendo a gambiarra que citei no começo por favor não sei nada na real sobre informatica mas nunca precisei chamar um tecnico para resolver meus problemas agora que consegui migrar para linux vou ter que instalar em outra partição o windows meu deus é pra fica loco mesmo com os "tecnicos" da net

    • arthur

      Putz Giano, vc é um herói, dá a letra aí de como vc conseguiu configurar o Virtua no Mandriva, porque os cabaços da NET vieram em casa ontém e falaram pra eu instalar o SO do AntiCristo porque os cabaços(de novo) não conseguiram resolver o problema. {}’s

  • Pingback: Ubuntu: Linux para seres humanos » Guia do PC()

  • Augusto

    Boa análise. Como tenho pouquíssimo tempo de uso do Linux, nunca testei essa distribuição. Mas agora penso que essa distro pode ser mais uma possibilidade a ser testada no futuro.

  • Fernando

    Eu já experimentei diversas distros: Ubuntu, Kubuntu, Mandriva, Fedora. Gostei de todas, cada uma tem qualidades e defeitos, mas a distro que mais gostei até hoje foi o Mandriva, acho que é um sistema excelente, estável e sinceramente gosto muito mais do ambiente KDE do que o GNOME. De todas formas, eu fico com o Windows, Linux é bom sim mas precisa crescer mais, atender aos padrões e maximizar a compatibilidade, só com o tempo isso vai acontecer. Abraços

  • criswlix

    Ai, galera essa para todos aqueles que contribuem para o desenvolvimento de (Distrus OS) sem variações todas mesmo nos temos é que nos unirmos para obter melhores resultados e em geral trazer satisfação para todos um abraço.

  • Leonardo

    O Mandriva 2010 é uma ótima distro. Estou gostando demais!

  • vitima

    ue quero instalar o google chromje e o explorer no meu linux

  • Jil

    Estou tentando usar o mandriva, mas tenho problemas em reproduzir vídeos wmv por conta dos codecs asf que não sei instalar. Por um acaso alguém sabe como posso fazer isso? pois não consigo ver os védeos enviados por email. Obrigado.

  • Pingback: Mandriva Linux()