Browse By

O polêmico “Vista da Rua” ou “Street View” do Google Maps

Se você utiliza ou está por dentro dos serviços da Google, especialmente o Google Maps, deve conhecer o recurso Vista da Rua, que permite que usuários visualizem em detalhes o que está por volta, como se você estivesse andando de carro pela região. O recurso é ótimo, mas por enquanto está disponível apenas em vias dos Estados Unidos e tem previsão para chegar na Europa neste ano.

Não, não é um parque de diversões: é a sede do Google, em Mountain View!

Não, não é um parque de diversões: é a sede do Google, em Mountain View!

E como o Google consegue obter essas imagens? Obviamente não é por satélite (O RLY?): carros com câmeras adaptadas instaladas nos tetos se encarregam de fazer o trabalho. Enquanto o carro roda pelas ruas, a câmera tira as fotos.

Se estiver fazendo algo de errado nas ruas e ver um carro como esse, cuidado.

Se estiver fazendo algo de errado nas ruas e ver um carro como esse, cuidado.

Tá, ok. E o que eu tenho a ver com isso? E o “kiko”? O problema é tirar fotos livremente pelas ruas, sem permissão dos fotografados (afinal, seria impossível pedir permissão para cada um que passa na rua), e por vezes flagrando episódios até engraçados: imagine você sendo flagrado saindo de um clube de striptease pelo Google? Foi isso que aconteceu em março deste ano. Em março, o departamento de defesa dos Estados Unidos inclusive proibiu o Google de oferecer imagens detalhadas de bases militares.

Recentemente, o fotógrafo Ian Georgeson, do jornal Edinbugh Evening News foi ameaçado pelos profissionais do Google, enquanto tirava fotos do trabalho deles pela cidade. O motivo? Medo de represálias da população ao ter o rosto conhecido. 

Bola com o logotipo do Google mostra a alta definição do serviço

Bola com o logotipo do Google mostra a alta definição do serviço

O Google já está testando um recurso de embaçamento de rostos de pessoas, que impede que as pessoas possam ser identificadas nas ruas. Certamente o Street View trará bons problemas para a Google e, claro, a União Européia não se simpatizou com o recurso (como se fosse novidade eles implicarem com alguma coisa).

Fonte: Folha Online, Google Discovery e G1 Tecnologia.