Browse By

Review: Ubuntu 12.10 “Quantal Quetzal”

Lançado dia 18, na última quinta-feira, Ubuntu 12.10, codinome Quantal Quetzal, é a mais nova versão do sistema operacional baseado em GNU/Linux da empresa britânica Canonical.

No lançamento, a Canonical apelou para um “Evite a dor do Windows 8”. Mas será que vale a pena instalar ou atualizar o sistema? O Guia do PC baixou e testou o novo Ubuntu. Confira a análise.

Obtendo e instalando o sistema

A obtenção da nova versão do Ubuntu é simples e sem custo algum. Entrando no site oficial, o ubuntu.com, é possível baixar a distribuição Linux da Canonical de diversas formas, como download direto da imagem ISO, torrent e até mesmo em forma de executável Windows.

É importante deixar claro as diferenças. Enquanto a imagem ISO precisará ser grava em DVD (não mais CD), o executável .exe deverá ser aberto dentro do Windows, para que o Ubuntu use como partição de instalação um espaço dentro do próprio Windows, facilitando o processo para quem quer usar Ubuntu e Windows no mesmo computador, permitindo até que desinstale o Ubuntu como se fosse um programa.

A partir desta versão, caso opte por baixar diretamente do site a imagem ISO ou o executável Windows, aparecerá uma tela de doação voluntária. Caso queira contribuir financeiramente com o desenvolvimento do Ubuntu, poderá ser feito de forma prática.

Um problema que não foi resolvido desde então é o idioma do site oficial. Apesar da Canonical considerar o Brasil estratégico para seus negócios na América Latina e possuir até escritório em São Paulo, em plena Avenida Paulista, o site não é em português.

Apesar disso, após gravar a imagem ISO em um DVD ou pendrive, ou mesmo executar o arquivo .exe dentro do Windows, todo o procedimento de instalação é multi-idioma, tendo opções para inúmeras línguas, incluindo o português brasileiro e o português lusitano.

O processo de instalação continua simples, amigável e rápido. Qualquer um pode instalar o Ubuntu sem conhecimento prévio de Linux ou mesmo de informática. Ainda, o sistema fica pronto para usar em poucos minutos.

Usabilidade e aparência geral

Ubuntu 12.10 não está muito diferente da versão passada. Foram feitos apenas retoques, que agradaram e mudaram levemente a usabilidade.

O que pode-se notar logo de início é a barra lateral, que mostra retângulos transparentes no lugar de coloridos. Agora o retângulo só ganhará cor caso o aplicativo esteja aberto.

O menu de configurações, perto do relógio, mudou um pouco, e não mostra mais a opção para o gestor de atualização, que deverá ser acessado pelo menu Unity.

As configurações do sistema estão bem centralizadas, tornando o sistema mais amigável. Não difere muito da versão anterior, mas ganhou opções.

Configuração do sistema centralizada

Quanto ao Unity, o que pode-se dizer é que o ambiente Unity continua com uma usabilidade “burocrática” e as vezes até confusa, mas apesar disso hoje ele está maduro, mais rápido e ganhando novos recursos que estão fazendo-o ser uma interface com ideias próprias.

Troca de janelas de mesma família continua burocrática, mas está mais rápida do que as primeiras versões do Unity

Unity e suas funcionalidades

Unity é a interface padrão do Ubuntu e a cada versão do sistema ela é alvo de críticas. Mas será que as críticas são justas? Eu diria que não mais. O que se pode ver é que o ambiente Unity cresceu, passou a ser escrito em Python 3 (ganhando velocidade) e já pode ser visto como algo diferente e agradável. Ele ganhou muitas funcionalidades, que ajudam a esquecer seu começo. Aos poucos, a tendência é que a interface ganhe fãs e perca críticos.

Falando em funcionalidade, veja algumas funções e novidades saídas do forno do Unity:

Lentes e os serviços da Canonical e parceiras

As lentes são uma sacada muito boa, que já estavam na versão passada. Mas agora a integração Com elas é possível integrar serviços da Canonical e de parceiros ao Unity.

Caso procure por “Elvis”, seus arquivos serão mostrados, além de possibilidades de compra da Ubuntu One Music Store e Amazon.

Integração com a loja de músicas do Ubuntu e até com a loja Amazon

Preview

Apertando o botão direito do mouse em cima de um item do menu Unity pode-se ver o preview do aplicativo ou arquivo. Também consegue-se ver álbuns da integração com as lojas mostrada no Unity.

Caso veja um arquivo de texto, por exemplo, existe até opção para mandar por e-mail. É uma praticidade considerável.

Busca do Unity é muito rápida e após encontrar o que quero, posso usar o recurso preview para, inclusive, mandar por e-mail algo

Web Apps

Alguns sites disponibilizarão a integração com Unity, como Facebook, Gmail, YouTube. A ideia é boa, mas até agora não mostrou real utilidade. O que foi testado apenas permitiu mostrar um ícone na barra lateral, integração com o HUD (já falado na análise do Ubuntu 12.04), com o próprio dash, permitindo visualizar eventos dentro do Unity e mostra algumas opções extras, mas nada que faça a diferença.

Web Apps não mostram nada de interessante

LibreOffice integrado à barra Unity

Uma mudança sutil, mas interessante é a integração do LibreOffice à barra superior. Ficou bonito e ganhou alguns centímetros de espaço.

Em telas pequenas a sutil mudança será mais percebida

Integração com serviços online

Agora muito mais serviços podem ser integrados ao sistema. Quer um exemplo? É possível enviar fotos mostradas no Shotwell, gerenciador de imagens do Ubuntu, para o Facebook, Picasa, Google Plus e outros serviços. Cadastrando na funcionalidade, também integrará aos programas Gwibber e Empathy.

[youtube id=”AUTNxi6b-hw” width=”600″ height=”350″]

Login remoto

Login remoto é uma opção que já existe nos sistemas Linux, mas a implementação do Ubuntu é diferente no que já existia no sistema da Canonical. Agora não é preciso entrar em alguma conta. Na própria tela de login do sistema existe a opção.

Já foi falado no GdPC sobre isso, leia aqui:
http://www.guiadopc.com.br/noticias/28015/ubuntu-12-10-implementa-login-desktops-remotos.html

Amazon e sua polêmica lente

Canonical fez parceria com a loja online Amazon. Quando é buscado algo no dash, no menu Unity, aparece opções de compra, recomendações que tem relação com a busca.

A polêmica foi gigantesca. Como a Canonical poderia colocar um serviço, que vem instalado por padrão, de forma que capture busca feita no desktop. É risco para a privacidade e o recurso foi dado com um adware por alguns.

A Canonical colocou uma nota de rodapé no Unity, um “Aviso legal”, explicando que não armazena as buscar em seus servidores e não captura qualquer informação pessoal. Mas não foi suficiente e na Europa, a famosa Comissão Europeia poderá investigar o caso para determinar se o recurso viola a legislação da União Europeia sobre privacidade.

É possível desinstalar o recurso, mas o problema é que já vem instalado. O consumidor não teve escolha alguma. Muitos nem saberão sobre a possibilidade de desativação.

Desempenho

Equipado com o kernel 3.5.0, o Ubuntu 12.10 está mais rápido que a versão anterior. Algumas modificações estão melhores, como as melhorias no sistema de arquivo BtrFS.

Contudo, o kernel não faz milagres. O desempenho do Ubuntu 12.10 fica comprometido com equipamentos modestos, mesmo sendo consideravelmente novos. Além de ser lento em máquinas com poucos recursos, a Canonical tirou o Unity 2D da instalação padrão. Ou seja, o computador com processador fraco e uma placa de vídeo antiga, sofrerá com o Unity 3D.

As lentes instaladas também consomem uns bons megabytes da memória RAM e o Compiz aparentemente está mais guloso. Lembram do 256 MB de RAM de consumo inicial falada na análise do Ubuntu 12.04 LTS? No mesmo equipamento testado, agora o Ubuntu consome perto 512 MB de RAM inicial, o que é um salto considerável.

Problemas

O grande problema do Ubuntu 12.10 é o driver Nvidia. Por padrão o Ubuntu usa o driver de código aberto Nouveau, desenvolvido pela comunidade. O driver não está estável para ser padrão de uma distribuição. Várias vezes o servidor gráfico fechou por conta de um erro no Nouveau.

Além disso o driver proprietário Nvidia, muito melhor que o de código aberto, tem um bug grave em todas as versões disponíveis (current, current-updates e experimental). O bug, desculpe a palavra que vou usar, caga com todo o sistema, baixando a resolução para o mínimo e sumindo com o gerenciador de janelas.

Driver Nvidia incompatível com o Ubuntu 12.10. Um erro grave que a equipe de desenvolvimento não percebeu ou fechou os olhos de propósito, a fim de lançar o sistema dentro do prazo

Canonical colocou uma armadilha em seu próprio sistema. Uma armadinha, por sinal, que pode não ser possível sair, pois a única solução simples pode ser reinstalar o sistema. No final, quem tentou fugir da dor do Windows 8, sentiu a dor do Ubuntu.

No computador equipado com um placa de vídeo onboard da Nvidia (GeForce 7025), foram duas reinstalações, para testar os três drivers proprietários disponíveis. Somente em uma oportunidade foi possível recuperar o sistema gráfico, voltando a usar o driver de código aberto.

Mas a dor do Ubuntu parece ter só pego alguns/muitos possuidores de Nvidia. Em testes com um equipamento AMD/ATI (onboard Radeon HD 6250), não mostrou problema algum com os drivers proprietários ou de código aberto. O comportamento geral do sistema foi muito estável.

O bluetooth também não funciona. Na tentativa de cadastrar um dispositivo ele simplesmente fecha e uma mensagem de erro aparece na tela.

Conclusão

Ubuntu 12.10 não traz grandes novidades a ponto de gerar necessidade de atualização e tem alguns bugs chatos, como do driver da Nvidia e do bluetooth, que precisam ser considerados.

Desde a primeira versão do sistema, esta é a primeira que a instalação precisa ser pensada seriamente, pois é acometida por um grave erro, que pode comprometer o sistema. Caso tenha uma placa Nvidia e não goste do driver de código aberto Nouveau por considerar o desempenho abaixo do driver proprietário, considere fortemente usar o Ubuntu 12.04 enquanto a solução não sair.

Caso tenha o Ubuntu 12.04 instalado, Ubuntu 12.10 é só um supérfluo, podendo esperar até 2013 pela próxima versão. Mas se tiver entrando agora no mundo Linux e quer testar o Ubuntu, não se encaixa no alerta acima e gostou demais das novidades, use o Ubuntu 12.10 sem medo e venha aqui falar o que achou do sistema 🙂

Enquanto isso, veja outros textos da nossa coluna Review da Semana:

<